Ter informações corretas sobre como amamentar, os cuidados essenciais, as posições e os cuidados que estas requerem, além de seus benefícios para a mãe e o bebê, fazem com que o processo da amamentação seja mais tranquilo e prazeroso. Para que essas informações sejam aprendidas existem diversos cursos EAD (cursos online) que podem ser feitos de acordo com a disponibilidade de tempo de cada pessoa. Esse é um tema bastante discutido em maternidades, grupo de gestantes, grupos de mães, médicos, enfermeiros e outros profissionais. Neste artigo trarei um pouco das respostas às principais dúvidas e inseguranças citadas nesses grupos, sugestões de cursos EAD e o que fazer nesse momento tão especial.

Algumas pessoas dizem que amamentar é fácil e que toda mulher sabe, que é tão fisiológico que praticamente nascemos sabendo o que fazer, mas é aí que estas se enganam. O curso online amamentação irá te ajudar em muitas coisas, principalmente a compreender que amamentar é um ato de amor e deve ser aprendido. A proposta deste artigo, bem como dos cursos à distância que irei indicar, é justamente trazer um pouco mais de aprendizado. É importante conhecer cada passo para que seja um momento de prazer e não uma tortura, como é relatado por mães que tiveram experiências ruins.

Várias mulheres já sofreram bullying quando o assunto é amamentação. Vamos falar das frases que toda mulher que está amamentando, já amamentou ou convive com quem está amamentando, já deve ter ouvido:

1 - Seu leite é fraco por isso ele não para de chorar, só leite não sustenta

Independente dos cursos online com certificado que você faça, estará sempre sujeito(a) ao conhecimento do senso comum, como desta frase. Não existe leite fraco. Quando a criança chora após amamentar deve-se ficar atento com relação ao tempo efetivo de sucção e ao rodízio que deve ser feito entre as mamas após cada horário de mamada do recém-nascido. O leite rico em gordura, que traz a sensação de saciedade e que faz o recém-nascido ganhar peso é produzido por último durante a amamentação, sendo, portanto, indispensável que uma mama seja esvaziada completamente para que só após seja oferecida a outra. A principal orientação é: amamentar por livre demanda, ou seja, pelo tempo que o recém-nascido quiser. Seguindo essas orientações garante-se que o recém-nascido fique satisfeito e bem nutrido até o próximo horário de amamentar. 

2 - Seu peito vai cair se você amamentar muito

Quando uma mulher engravida naturalmente ganha peso ao longo da gestação, consequentemente os seios aumentam de tamanho, mas algumas mulheres tendem a ganhar mais peso que outras.  Falar em ganho de peso para mulheres hoje em dia, normalmente é um assunto que chega a ser dramático e não existem cursos online que amenizam esta questão. Cada pele possui características diferentes, algumas desenvolvem estrias, mas o fato do peito não voltar a sua forma original está mais relacionado a genética de cada mulher do que a qualquer outro fator que se relacione com amamentação. Além disso, esse não é o momento em que a vaidade da mulher deve falar mais alto. Como dito anteriormente, amamentar é um ato de amor, mas a solução que se pode fazer para aumentar as chances do corpo sentir menos os efeitos da gestação é manter uma dieta equilibrada, ganhar peso dentro dos padrões considerados normais e se possível realizar atividades físicas que fortaleçam a musculatura.

3 - Coma isso que ajuda seu leite a "descer"

É importante ter cuidado com as sugestões alimentares que dizem favorecer a "descida" do leite. Alguns cursos online como o curso online Nutrição na Gestação trazem informações importantes para ajudar, mas já adiantando, existem alimentos que não são indicados às gestantes e mulheres que amamentam, e o que de fato ajuda na produção do leite são coisas que estimulam a produção de um hormônio chamado ocitocina. Algumas mulheres não produzem leite logo após o nascimento do bebê, isso pode estar diretamente relacionado com questões do trabalho de parto como: nível de estresse, preparo emocional para esse momento (independente de ser parto normal ou cesáreo), aceitação da gestação, se houve apoio ou não das pessoas próximas, entre outros. Em alguns casos existem mulheres que produzem leite antes mesmo do nascimento, reforçando a informação que a “descida do leite” é uma questão hormonal e individual de cada mulher.

O que de fato ajuda na produção do leite é deixar que o recém-nascido sugue o seio materno logo após o parto pelo tempo que quiser. Ter tranquilidade e entender que esse é um processo fisiológico e que ele acontecerá no momento ideal de cada mulher é fundamental para o sucesso da amamentação.

Cursos relacionados que podem te interessar:

4 – Seu peito vai rachar

As famosas “rachaduras” chamadas de fissuras ocorrem por dois motivos principais: mau posicionamento da criança durante a amamentação e sensibilidade da pele que recobre a auréola e mamilos. O banho de sol, correção da pega e posicionamento auxiliam e evitam que elas ocorram. As “rachaduras” são grandes causadoras do abandono da amamentação já nos primeiros dias do nascimento, em alguns casos mesmo com todos os cuidados elas surgem, orienta-se a continuar amamentando pois o próprio leite contém anticorpos que auxiliam na cicatrização, e em casos mais severos o uso de pomadas a base de lanolina também pode ser indicado. Cursos online com certificado podem te capacitar para ter mais sucesso e também para poder ajudar outras pessoas.

5 - Seu mamilo é invertido e você não vai conseguir amamentar

Ao longo da gestação o corpo da mulher passa por diversas transformações, uma delas se relaciona com as mamas, elas ficam maiores e a região aureolar tende a adquirir uma coloração mais escura, dando a essa região maior resistência durante o período de amamentação, diminuindo os riscos de fissuras. Com relação aos diversos tipos de mamilos protusos, invertidos e planos, nenhum deles contraindicam a amamentação, apenas podem fazer com que o recém-nascido tenha maior facilidade ou não na hora de fazer a pega adequada. O mais importante é a mãe ter paciência e posicionar adequadamente o recém-nascido para que aos poucos ele se acostume à anatomia do mamilo.

Essas são apenas algumas das frases que ouvimos por ai, que na maioria das vezes contribuem apenas para deixar as mulheres mais inseguras da técnica e dos benefícios do aleitamento materno. Para que se adquira essa segurança é importante ter conhecimento e buscar por informações corretas e confiáveis, para isso temos disponível os cursos EAD (cursos à distância) que tratam deste e de outros assuntos importantes para o sucesso da amamentação.


Por que amamentar? 

Durante o período que antecede a amamentação é importante que a gestante receba orientações sobre nutrição. Uma boa alimentação favorece e traz maior equilíbrio ao organismo. São inúmeros os benefícios tanto para a mãe que amamenta quanto para o recém-nascido que recebe o leite, e esses benefícios ainda se estendem a família, vamos falar deles de modo prático e simples. Independente de quaisquer cursos online com certificado que possa fazer: amamentar é um ato de amor. E a partir desta frase vamos compreender a real importância do leite materno.

As mães que amamentam geralmente conseguem organizar um ambiente familiar que torne esse momento possível, dessa maneira toda a família se envolve nesse processo, fazendo com que a mulher sinta se apoiada e incentivada diminuindo suas inseguranças. Ambientes familiares estruturados onde um apoia o outro favorecem o desenvolvimento da criança emocionalmente, o que terá impacto direto no desenvolvimento na escola e nas relações com outras pessoas. Crianças que foram amamentadas apresentam melhor desenvolvimento escolar, maior equilíbrio emocional, menor chance de desenvolver obesidade e diabetes tipo I, além é claro das inúmeras substâncias benéficas que são passadas através do leite materno.

Composição do leite materno

O leite materno é rico em substâncias como: sais minerais, proteínas, anticorpos e gordura, e até hoje nenhum laboratório conseguiu produzi-lo artificialmente. Suas propriedades são únicas e essenciais para o desenvolvimento do recém-nascido até o sexto mês de vida. Além da importância nutricional do leite materno, existe uma importância com relação ao sistema imunológico do recém-nascido, pois ele fornece inúmeros componentes que auxiliam no desenvolvimento do sistema imunológico, diminuindo os riscos para várias doenças auto-imunes e infecciosas, tornando a criança mais preparada para o contato com os agentes externos capazes de causar doenças.

O primeiro leite produzido é um leite rico em anticorpos, chamado de colostro, e geralmente está presente nos primeiros dias da amamentação tendo maior concentração de proteínas. Já o leite produzido após esse período é chamado de leite de transição que possui maior concentração de gorduras e carboidratos. O leite chamado de "maduro" começa a ser produzido aproximadamente 20 dias após o parto e atende as demandas nutricionais da criança.

Existe posição errada para amamentar?

Não existe posição errada. Existem algumas posições que requerem cuidados específicos durante ou após a amamentação. Cada mulher pode se sentir mais confortável em uma determinada posição e é isso o que importa. Lembrando que independente da posição escolhida, a criança deve ser colocada para gorfar verticalmente para diminuir os riscos de aspiração.

Quando vamos amamentar é necessário pensar que aquele momento é exclusivo e não deve ser cronometrado e nem interrompido, a criança deve sugar pelo tempo que quiser e para isso deve se ter alguns cuidados como: escolher um local confortável com apoio para os braços caso a posição escolhida seja sentada, ter um ambiente calmo com boa iluminação e ventilação, não deixar o recém-nascido muito agasalhado pois o próprio calor da mãe passa para a criança no momento da amamentação e ter o apoio da família.

Os certificados do Enfoque Capacitação podem ser usados para:


Prova de Títulos em Concursos Públicos

Horas complementares para faculdades

Complemento de horas para cursos técnicos

Progressão de carreira em empresas

Turbinar seu currículo

Revolucionar sua vida profissional e acadêmica

Até quando amamentar?

A amamentação deve ser iniciada nas primeiras horas de vida do recém-nascido, em algumas maternidades esse processo é iniciado imediatamente após o parto. Esse contato já nas primeiras horas de vida favorece o vinculo afetivo entre mãe e filho e ainda traz benefícios maternos, como a diminuição do risco de hemorragias após o parto e depressão pós parto.

Nos primeiros seis meses de vida, o leite é suficiente para que o recém-nascido ganhe peso e se desenvolva adequadamente. Ao longo desses seis meses o leite passa por transformações em sua composição para que possa atender as necessidades do bebê em cada fase de seu desenvolvimento.

Muitas mães ficam inseguras imaginando se existe a necessidade de oferecer outros alimentos além do leite materno e acabam por introduzir alimentos que nem sempre são adequados ao recém-nascido. 

Estudos mostram que é ideal o aleitamento materno exclusivo até o sexto mês de vida e que após esse período a mãe pode inserir outros alimentos à dieta de forma gradativa, verificando a aceitação e observando possíveis intolerâncias e alergias.

A partir do sexto mês de vida a mãe deve continuar amamentando por livre demanda, e após esse período ela deve continuar estimulando o aleitamento materno, mesmo que a criança faça uso de outros alimentos. 

Ainda hoje não se tem descrito um momento exato ou correto para interromper a amamentação, no Brasil o Ministério de Saúde preconiza amamentar até pelo menos 2 anos. A criança pode ser amamentada após os dois anos de idade, mas os benefícios nutricionais oferecidos pelo leite materno nesse momento serão suprimidos pelos alimentos sólidos. É importante que o desmame ocorra de forma natural e gradativo.

No caso das mães que retornam ao trabalho antes do sexto mês de vida, recomenda-se fazer ordenha manualmente do leite, armazena-lo em frascos que possam ser esterilizados e que possuam vedação total ao fecha-lo, evitando contaminação. O frasco escolhido geralmente deve ser de vidro e deve ser datado para controle da validade do leite. Antes de oferecer o leite, o mesmo deve ser aquecido em “banho maria” não podendo ser colocado em hipótese nenhuma no micro-ondas para que não perca suas propriedades nutricionais. O curso online amamentação irá te proporcionar um conhecimento rico sobre este e outros pontos.

O papel da família na amamentação

A família possui papel fundamental durante todo o período da amamentação. Apoiar, fortalecer e estimular o vinculo entre mãe e bebê é de grande importância para o sucesso da amamentação.  O núcleo familiar nesse contexto deve ajudar a manter o ambiente organizado, limpo e também ajudar nas tarefas domésticas para que a mãe tenha tranquilidade e não fique ansiosa durante o tempo da mamada. 

Amamente

Cursos à distância nesta área serão importantíssimos para auxiliar principalmente as gestantes, pois podem ser realizados em casa, a qualquer hora do dia ou da noite, ficando assim mais fácil de se conciliar com a rotina diária. Diante do que foi levantado neste artigo, fica claro que o processo de amamentar é algo fisiológico, mas que deve ser aprendido de forma completa, evitando assim inseguranças e o abandono da amamentação. O processo deve ser aprendido tanto por profissionais da área quanto por mães, pais e família.

Aqui no Enfoque Capacitação oferecemos o curso online Amamentação que além das técnicas e conhecimentos sobre o tema, oferece certificação opcional aos profissionais da área de saúde que precisam se capacitar ou se atualizar.

Caso queira mais informações sobre esse e outro assuntos, oferecemos diversos cursos profissionais para que você possa aperfeiçoar e adquirir conhecimentos sobre as boas práticas do aleitamento materno. Se quiser compartilhar suas experiências relacionadas ao tema ou se tem dúvidas sobre o assunto, deixe o seu comentário. Será um prazer te responder.